30 anos preso por fraude e falsificação via Internet

De Um estrangeiro de 30 anos de origem nigeriana foi preso por crime cibernético e falsificação depois de usar a Internet.

O autor foi preso no contexto da rodovia, no momento em que foi à EL.TA. para receber, usando um cartão falso de requerente de asilo estrangeiro, produtos que ele havia encomendado fraudulentamente on-line.

Ele havia comprado sete (7) itens e produtos diferentes, de grande valor, de um conhecido site de leil√£o e compras na Internet, fornecendo provas falsas de transa√ß√Ķes de transfer√™ncia de dinheiro.Internet crime Internet

A Diretoria de Promotoria do Crime Cibernético investigou sete (7) casos de fraude e falsificação de computadores após o uso, via Internet, e prendeu o agressor de 30 anos de origem nigeriana.

Em particular, ele foi acusado de autoincriminação por fraude contínua via Internet, uso de um documento falsificado, falsificação de certificados, fraude de computador e falsificação.

O criminoso foi preso como parte de uma opera√ß√£o policial ap√≥s investiga√ß√Ķes e buscas realizadas pela Diretoria de Promotoria do Crime Cibern√©tico, para localiz√°-lo imediatamente.

A investigação do caso começou após o uso adequado dos dados pelos Diretores da Promotoria de Crime Cibernético, segundo os quais o autor mencionado havia comprado sete (7) itens e produtos diferentes, de grande valor, de um conhecido site de leilão e compra. Internet.

Constatou-se que a compra foi efetuada mediante a apresenta√ß√£o de recibos alterados de transa√ß√Ķes de transfer√™ncia de dinheiro, que mostraram falsamente que pagamentos eletr√īnicos foram feitos, atrav√©s de um portal espec√≠fico de transfer√™ncia de dinheiro online, das contas do agressor √†s contas dos comerciantes das lojas online.

As autoridades aduaneiras foram imediatamente informadas, que localizaram as parcelas em questão e as entregaram à sucursal competente do posto helênico.

A Diretoria de Processo Penal Eletr√īnico conduziu uma investiga√ß√£o digital completa e an√°lise dos dados do caso e uma ordem foi emitida pelo Minist√©rio P√ļblico de Atenas para um exame preliminar.

Nesse contexto, seguiu-se uma investiga√ß√£o policial digital e foi feita uma correspond√™ncia com os provedores de servi√ßos de internet competentes, telecomunica√ß√Ķes e ELTA, como resultado do qual foi identificado o envolvimento da pessoa de 30 anos nos mercados fraudulentos em disputa.

Ontem (24-8-2015), um grupo de policiais da Diretoria de Repress√£o ao Crime Eletr√īnico realizou uma opera√ß√£o policial na Pol√≠cia Hel√™nica, de onde o autor deveria receber os produtos que ele havia pedido de maneira fraudulenta. O garoto de 30 anos foi preso pela pol√≠cia enquanto recebia os produtos, exibindo um pedido forjado de um requerente de asilo.

Durante as buscas na casa e na busca física do agressor, eles foram encontrados e confiscados:

  • sete (7) parcelas com v√°rios produtos – itens que ele havia pedido da maneira enganosa acima,

  • dois (2) telefones celulares,

  • cart√£o de requerente de asilo estrangeiro forjado,

  • evid√™ncia relacionada aos atos criminosos cometidos.

  • Os telefones confiscados ser√£o enviados √† Diretoria de Investiga√ß√Ķes Criminol√≥gicas, para os exames laboratoriais necess√°rios, enquanto as demais evid√™ncias confiscadas ser√£o enviadas √†s autoridades competentes. A participa√ß√£o da pessoa presa em outros atos semelhantes est√° sendo investigada.

    Observa-se que a pessoa presa √© marcada como tendo sido presa pelo Conselho do Conselho de Contraven√ß√£o Criminal de Atenas por sua pris√£o e pris√£o nas pris√Ķes de Nafplio por viola√ß√Ķes da lei de direitos autorais.

    Al√©m disso, afirma-se que a maneira de agir acima mencionada √© um tipo global de fraude, conhecido como “fraude nigeriana, via Internet”.

    A pessoa presa, com a acusa√ß√£o apresentada contra ele, ser√° levada ao Minist√©rio P√ļblico de Atenas.

    Recorde-se que os cidad√£os podem entrar em contato, anonimamente ou com a marca, a Diretoria de Processos Cibern√©ticos, a fim de fornecer informa√ß√Ķes ou relatar atos ou atividades ilegais ou repreens√≠veis realizadas pela Internet, com os seguintes detalhes de contato:

  • Por telefone: 111 88

  • Atrav√©s do aplicativo para smartphones com sistema operacional ios-android: CYBERKID.