Apple adverte EUA: “O aumento de tarifas reduzir√° nossa competitividade”

A Apple pediu oficialmente aos Estados Unidos para revisar o aumento da taxa de 25% imposta pelo governo Trump a mercadorias importadas da China. Na carta enviada ao representante de vendas, Robert Lighthizer, a empresa de Cupertino enfatizou que as tarifas propostas poderiam ter impacto em quase todos os produtos da Apple, incluindo iPhone, MacBook, AirPods e Apple Watch, incluindo baterias e peças de reposição .

A Apple alega que isso o colocaria em desvantagem em compara√ß√£o com seus concorrentes internacionais, especialmente os chineses. Tudo isso far√° diminuir a contribui√ß√£o da empresa para toda a economia dos EUA. Em maio, o governo Trump anunciou aumentos de tarifas em quase todas as categorias de produtos, incluindo computadores, smartphones e televis√Ķes. √Č por isso que outros fabricantes, como Dell, HP, Intel e Microsoft, tamb√©m enviaram uma carta semelhante expressando sua decep√ß√£o.

Se as tarifas entrarem em vigor, empresas como a Apple devem apresentar um plano alternativo para tentar manter os custos baixos. Para o Colossus de Cupertino, uma opção poderia ser mover uma parte de sua produção para fora da China, como foi relatado em um artigo anterior. A esse respeito, uma das principais montadoras de produtos da Apple, a Foxconn, já disse que está pronto para poder mover a produção se a Apple solicitar.

Diversificar a produção, no entanto, leva tempo. Assim, as empresas americanas podem sendo forçado a aumentar os preços de seus produtos. De fato, os analistas do JP Morgan estimaram que Рapós as novas tarifas Рo preço dos iPhones da próxima geração poderá aumentar em até 14% a mais. Em suma, infelizmente, os consumidores também pagarão o preço. Agora, tudo o que resta é esperar a decisão final do governo dos Estados Unidos.