Huawei FreeBuds 3, o chip Kirin A1 que faz a diferença

A combinação perfeita de hardware e software representa o componente que pode fazer a diferença no mundo dos verdadeiros fones de ouvido sem fio. A qualidade do åudio, por mais importante que seja, geralmente é comprometida por uma implementação ineficaz com smartphones. Nesse sentido, a Huawei trabalhou precisamente nessa direção, com a lógica de tornar o novo FreeBuds 3 (encontre nosso link neste link) perfeitamente combinåvel com qualquer dispositivo equipado com conectividade Bluetooth.

A partir deste ponto de vista, tudo gira em torno do novo chip Kirin A1. Este Ă© o SoC que, a partir do segundo semestre de 2019, caracteriza todos os dispositivos portĂĄteis da marca Huawei. O processador em questĂŁo fornece Bluetooth 5.1, alĂ©m de ser certificado para BT / BLE de modo duplo, usando a tecnologia de transmissĂŁo proprietĂĄria chamada Isochronous Dual Channel e a categoria de ĂĄudio de 356 MHz. Aspectos tĂ©cnicos que interferem em um crucial na experiĂȘncia do usuĂĄrio de fones de ouvido sem fio verdadeiros.

De fato, graças ao Kirin A1, o emparelhamento do FreeBuds 3 com smartphones isso acontece praticamente instantaneamente. NĂŁo apenas isso, mas combinando-os com um produto Huawei como o P30 Pro, vocĂȘ tem vantagens reais de software Ă  sua disposição. De fato, basta abrir a tampa do estojo para poder visualizar o status de carregamento dos fones de ouvido na tela, com a possibilidade de entrar rapidamente no aplicativo e poder intervir nas configuraçÔes manuais. Mas isso nĂŁo Ă© tudo.

O Kirin A1 também intervém na estabilidade da conexão. Deste ponto de vista, a presença do Bluetooth 5.1 representa uma garantia importante. Com o FreeBuds 3, esqueça as desconexÔes não intencionais com o smartphone ou quando os fones de ouvido não conseguem gerenciar o fluxo de åudio. Tudo acontece com continuidade absoluta de uso, atendendo ao que normalmente deveria ser o uso de um produto desse tipo.

O SoC tambĂ©m disponibiliza Tecnologia anti-interferĂȘncia, portanto, o conceito de estabilidade da conexĂŁo tambĂ©m Ă© vĂĄlido em ambientes particularmente lotados, como aeroportos. Nesses contextos, de fato, terĂĄ acontecido muitas vezes perder o uso da conectividade Bluetooth. Bem, tudo isso serĂĄ uma memĂłria distante com o FreeBuds 3. AlĂ©m disso, nĂŁo hĂĄ problema com a sincronização entre ĂĄudio e vĂ­deo, pois cada fone de ouvido recebe o fluxo individualmente, para que vocĂȘ possa desfrutar da sua sĂ©rie de TV favorita sem problemas. .

Uma experiĂȘncia geral do usuĂĄrio que, como Ă© facilmente entendida, Ă© replicada em todos os dispositivos portĂĄteis da Huawei. Vimos, por exemplo, no Watch GT 2, um smartwatch tambĂ©m baseado no Kirin A1. TambĂ©m com este produto, hĂĄ uma estabilidade absoluta da conexĂŁo e um emparelhamento praticamente instantĂąneo com o smartwatch com o qual vocĂȘ deseja usĂĄ-lo. Uma vantagem nĂŁo um pouco, que mostra pela enĂ©sima vez quanto o conceito de “ecossistema” Ă© caro para a empresa chinesa.