Mostre-me seu perfil para lhe dizer quem vocĂȘ é 

image.ashx PreferĂȘncias polĂ­ticas e sexuais, crenças religiosas, uso de drogas e atĂ© mesmo o grau de inteligĂȘncia ou introversĂŁo / extroversĂŁo de uma pessoa podem ser deduzidos das coisas e a pessoas que vocĂȘ escolhe no Facebook, de acordo com um novo estudo cientĂ­fico britĂąnico.

O estudo mostra que, como milhĂ”es de usuĂĄrios da rede social maior expressam suas preferĂȘncias por coisas “inocentes”,<
>

como livros, mĂșsicas e filmes, mesmo que nĂŁo queiram, revelam coisas muito mais importantes sobre si mesmos.

Usando algoritmos especiais Ao analisar os dados livremente acessĂ­veis no Facebook, os pesquisadores trouxeram Ă  tona automaticamente “retratos” pessoais caros de usuĂĄrios, o que provavelmente deve ser motivo de preocupação em termos de possĂ­vel violação de dados pessoais.

A anĂĄlise automĂĄtica – mecĂąnica de arquivos digitais mostra ser capaz de expor aspectos do usuĂĄrio, o Ășltimo preferiria permanecer oculto ou nĂŁo ao pĂșblico.

Os pesquisadores, liderados por um psicĂłlogo Michael Kozinski do Centro de Psicometria da Universidade de Cambridge, em colaboração com a Microsoft Research, publicado na revista da Academia Nacional de CiĂȘncias dos Estados Unidos (PNAS), estudou cerca de 58.000 voluntĂĄrios, que foram submetidos a testes psicomĂ©tricos online de personalidade por meio de um aplicativo especial (myPersonality).

EntĂŁo os pesquisadores correlacionou estatisticamente os resultados dos testes com as “curtidas” dessas pessoas no facebook e, assim, desenvolveu algoritmos, que revelam automaticamente aspectos da personalidade de uma pessoa.

O software – que foi testado em outros usuĂĄrios – provou ser 88% capaz de determinar suas preferĂȘncias sexuais. homossexuais homens (comparado a 75% das mulheres gays), 95% identificaram corretamente a raça do usuĂĄrio (branca ou colorida), 93% sexualmente e 85% reconheceram corretamente as crenças polĂ­ticas do usuĂĄrio (democrĂĄticas ou conservadoras / republicanas). )

o credo (CristĂŁo ou muçulmano) foi determinado pelos algoritmos com 82% de sucesso, h uso de drogas, ĂĄlcool e outras substĂąncias a uma taxa de 65% a 73% e os existĂȘncia ou nĂŁo de um relacionamento com outra pessoa a uma taxa de 65% (em particular, o programa fornece 60% de precisĂŁo relativa, mesmo que os pais de um usuĂĄrio tenham se divorciado antes dos 21 anos!).

Vale ressaltar que as preferĂȘncias e propriedades acima geralmente nĂŁo foram explicitamente declaradas no Facebook e nĂŁo revelaram todos esses recursos dos usuĂĄrios.

No entanto, o programa de software pode tirar conclusĂ”es, combinando enormes quantidades de informaçÔes das preferĂȘncias dos usuĂĄrios em vĂĄrios campos (por exemplo, mĂșsicas e sĂ©ries de TV), a fim de criar “perfis” pessoais.

Esse recurso certamente encantarĂĄ as empresas de marketing e publicidade, que tĂȘm outra confirmação do valor das redes sociais para promover seletivamente vĂĄrios produtos e serviços para grupos individuais de usuĂĄrios.

Mas o novo estudo jĂĄ levantou preocupaçÔes entre grupos de privacidade, como o Big Brother Watch, cujo porta-voz disse que “esta investigação deve ser um alerta”.

Ele acrescentou que “precisamos pensar desde o inĂ­cio quantos dados compartilhamos com a nossa vontade”, porque no final Ă© possĂ­vel categorizar os usuĂĄrios do Facebook e atĂ© prever seu comportamento em campos altamente sensĂ­veis e pessoais, enquanto explora esses elementos. .

“Posso imaginar situaçÔes em que os dados disponĂ­veis e a tecnologia para analisĂĄ-los podem ser usados ​​para prever visĂ”es polĂ­ticas e orientação sexual, criando ameaças Ă  liberdade ou mesmo Ă  vida”, disse o principal pesquisador Michael Kozinski. que disse que estava “completamente surpreso com a precisĂŁo das previsĂ”es”.

Fonte: nooz.gr