Qualcomm novamente pede para bloquear a venda de alguns iPhones nos EUA

Estamos diante de um novo epis√≥dio da guerra legal entre a Qualcomm e a Apple por quest√Ķes de licenciamento e patente. O fabricante de San Diego insta mais uma vez as autoridades competentes a proibir a importa√ß√£o de determinados modelos de iPhone para os Estados Unidos com modems Intel que violam as patentes cobertas pela disputa.

Vamos dar um passo atrás. Em 2017, a Qualcomm informou a Apple à Comissão Internacional de Comércio (ITC) acusando-a de violar uma patente que envolvia otimizar a bateria. A Comissão se manifestou a favor do fabricante de chips, mas decidiu não impor nenhuma proibição aos dispositivos infratores, como é geralmente o caso nesses casos.

O juiz Thomas Pender justificou a decisão afirmando que, se os iPhones da Intel fossem proibidos, isso levaria a Monopólio da Qualcomm no mercado dos EUA de chips de modem para smartphones. Uma situação considerada inadequada para manter um mercado competitivo, especialmente em vista do desenvolvimento das novas redes 5G. Além disso, de acordo com os advogados do fabricante de San Diego, Pender assumiu que o uso do modem Qualcomm impediria a Apple de ter a Intel como fornecedora por muitos anos e que não foi possível reprojetar o software. Em dezembro, a decisão foi revisada com o ITC, que deverá tomar uma decisão até o final de março.

Entretanto, entretanto, A Apple disse que encontrou a solu√ß√£o via software que anula qualquer viola√ß√£o, mas que precisa de seis meses para estar em conformidade. Nesse ponto, de acordo com a Qualcomm, o motivo da n√£o proibi√ß√£o n√£o √© mais v√°lido, pois “o dano alegado √© completamente evit√°vel”. Reuters relata que “em um arquivo apresentado na sexta-feira, a Qualcomm disse que a divulga√ß√£o de uma corre√ß√£o da Apple enfraqueceu o racioc√≠nio na decis√£o de Pender e que smartphones com chips Intel devem ser banidos enquanto a Apple distribui sua corre√ß√£o “.

A Comiss√£o ter√° agora de decidir se deve dar √† empresa Cupertino mais seis meses ou aceitar a proposta da empresa de San Diego. Lembre-se de que a Apple conseguiu contornar as proibi√ß√Ķes impostas na Alemanha e na China.