Smartwatch para rastrear Covid-19: o estudo da Universidade de Stanford

O LaboratĂłrio de Inovação em SaĂșde da Universidade de Stanford lançou um estudo com o objetivo de entender se os dispositivos vestĂ­veis podem rastrear e identificar o Covid-19. O estudo Ă© destinado a proprietĂĄrios de relĂłgios inteligentes e rastreadores de fitness que tiveram um caso confirmado ou suspeito de Covid-19 ou que entraram em contato com alguĂ©m que contraiu o vĂ­rus ou que ainda correm mais riscos como profissionais de saĂșde.

Na visĂŁo geral das informaçÔes, Ă© explicado que os dados serĂŁo usados ​​para determinar se as informaçÔes obtidas de dispositivos vestĂ­veis podem ser usadas para prever o aparecimento de uma doença infecciosa como o COVID-19 antes do inĂ­cio dos sintomas reais. Os dados que serĂŁo coletados incluem freqĂŒĂȘncia cardĂ­aca, temperatura da pele, saturação de oxigĂȘnio no sangue, etc.

Para participar do estudo, vocĂȘ precisarĂĄ usar continuamente seu smartwatch ou rastreador de fitness, baixar um aplicativo e concluir uma pesquisa de sintomas diariamente. Os participantes voluntĂĄrios e adultos tambĂ©m poderĂŁo dar o seu consentimento para que os pesquisadores acessem seus registros mĂ©dicos. A participação levarĂĄ atĂ© 24 meses.

Em suma, como tivemos a oportunidade de declarar em vĂĄrias ocasiĂ”es, a atual emergĂȘncia sanitĂĄria poderia dar um novo impulso ao mercado de dispositivos portĂĄteis. De fato, esses produtos atendem Ă  crescente necessidade dos usuĂĄrios de manter sua saĂșde sob controle, entendendo-se que eles nĂŁo pretendem substituir os dispositivos mĂ©dicos de forma alguma.